Pesquisa, processos e articulações
entre estética e política

26/04

Abril/Maio

Período: 26/04 - 27/04 
03/05 - 04/05

Carga Horária: 16h

Quinta e Sexta, das 18h às 22h

Investimento: 250,00 (parceláveis)

(com direito a convidar um amigo para o workshop)

> Pesquisa, processos e articulações entre estética e política.

Este workshop pretende compartilhar referencial teórico e prático sobre o trabalho de pesquisadores, artistas e grupos de militância e se destina a pensar a experiência e a trajetória dos participantes na sua relação com pesquisa e produção estética, seja como artista, curador, pesquisador entre outros profissionais. 


De que maneira a noção de pesquisa informa práticas artísticas e estéticas hoje? Como a prática de pesquisa se relaciona a processos, produzindo processualidade? De que maneira pesquisa e processualidade se relacionam à criatividade? Que modos e efeitos a pesquisa pensada dessa maneira produz, sejam eles subjetivos, cognitivos, estéticos, sociais, políticos?

 

O objetivo será compartilhar referencial teórico, trabalho de grupos e artistas e realizações nas passagens estética-política que podem informar produções contemporâneas. Pensar a prática de pesquisa articulada à ideia de transformação e invenção, criando um ambiente em que se pode discutir experiências de pesquisa acadêmica, artística, auto-organizada e / ou militante. É dirigido tanto para quem já realiza pesquisa em âmbito acadêmico como para quem deseja realizar.

 

Bibliografia de referência:


Félix Guattari. Revolução Molecular. Pulsações Políticas do Desejo. São Paulo: Brasiliense. 1987.


Suely Rolnik, Cartografia sentimental: Transformações Contemporâneas do Desejo. Porto Alegre, RS: Sulina, Editora da UFRGS, 2011.


Tania M. G. Fonseca, Maria N. Nascimento, Maraschin (eds.) , Pesquisar na diferença: um abecedário Porto Alegre: Sulina, 2012


Regina. B. De Barros, Virginia Kastrup e Eduardo Passos. Pistas para o método da cartografia. Porto Alegre, RS: Sulina, 2009


Mais autores e grupos de referência são Colectivo Situaciones, Tiqqun, Ricardo Basbaum, Peter Pál Pelbart, Cecilia Coimbra, Virgínia Kastrup, Claire Bishop, Martha Rosler, Jakob Jakobsen, Grant Kester, Veronica Gago.

Cristina Ribas
Trabalha como artista, pesquisadora e eventualmente como curadora. Nasceu 1980, e é mãe. Doutora (PhD) no Departamento de Artes no Goldsmiths College University of London (2017). Com mestrado pelo Instituto de Artes da UERJ (2008) e graduação em Porto Alegre, no Instituto de Artes da UFRGS (2004). Tem experiência na concepção de projetos nas passagens entre a estética e a política, na forma de residência artística, pesquisa militante e pedagogia radical. Em 2011 criou a plataforma on line Desarquivo.org a partir do projeto e arquivo Arquivo de emergência (2005). Recentemente realizou junto a muitos autores o projeto Vocabulário político para processos estéticos. Faz parte da rede de pesquisadores Conceptualismos del Sur.

© 2020 por Assemblage Produtora 
ID visual por Ingrid Bittar/Renan Salotto - 2014

  • Facebook Social Icon
  • Instagram ícone social
  • Vimeo ícone social